A Instituição O Portal As Publicações Contactos Privacidade
Clima
 
Os ventos

À semelhança de toda a zona saheliana, o arquipélago apresenta duas estações contrastantes, resultantes das três frentes, o Harmatão que sopra de leste, o Alisado do nordeste, com excepção de Dezembro a Março em que sopra de este, e a Monção de SSW, dos quais depende a oscilação da Frente Intertropical (CIT) responsável pela pluviosidade em Cabo Verde.

As correntes

As ilhas encontram-se localizadas num sistema de correntes frias das Canárias que vindas de sudoeste e com a corrente norte -equatorial- atlântica atravessam o arquipélago com uma velocidade de 0,5 nós. Entre 0 e 200 metros fazem-se sentir duas correntes, de origem norte -atlântica e sul- atlântica, uma corrente de transição, entre 200 metros e 600 metros, e uma corrente profunda, de origem antártica, a partir dos 600 metros. A termoclima situa-se entre 30 metros e 60 metros de profundidade. A produtividade primária não é muito elevada, rondando os 150 mg C/m2/dia. As temperaturas decrescem com a profundidade, passando de 23ºC/26ºC, na superfície, a 20ºC a 50 metros, 16ºC a 100 metros e 13ºC a 200 metros. Devido à configuração das ilhas os ventos não provocam “upwelling” semelhantes ao das costas de Marrocos ou da Mauritânia. Contudo a circulação ciclónica induz uma subida de águas profundas ricas em sais nutritivos e cria zonas importantes de concentração de peixes. Os recursos haliêuticos são constituídos por uma grande diversidade de espécies, características de um meio tropical, dominados por uma abundância de peixes pelágicos.

Cabo Verde encontra-se situado numa extensa zona de climas áridos e semiáridos que se estende por toda a África setentrional, entre o Atlântico e o Mar Vermelho. O clima é árido, à excepção das regiões de altitude, das encostas viradas a nordeste, que são do tipo sub-húmido ou húmido, sendo condicionado pela posição estacional do anti-ciclone dos Açores e da zona de convergência intertropical. O relevo montanhoso é um importante factor na diferenciação climática regional e local. Na maior parte do ano o arquipélago está sob influência da forte corrente dos alíseos que originam, nas encostas viradas a nordeste, junto ao mar, entre os 500 metros a 1.000 metros de altitude, uma camada quase permanente de estratocúmulos formados por turbulência e convecção orográfica.

Sob influência do vento predominantemente do Norte e a influência do Oceano Atlântico, o arquipélago beneficia de um clima moderado a tropical seco com temperaturas médias anuais de 25ºC, num intervalo de 20ºC, na época fria (Dezembro a Fevereiro, média 22ºC), a 29ºC na época mais quente e húmida (Julho a Novembro, média 27ºC). É um clima ameno, distinto dos existentes na mesma latitude no Continente Africano o qual faz, ocasionalmente, sentir a sua proximidade, especialmente nos primeiros meses do ano quando os seus ventos quentes e carregados de poeiras (bruma seca) chegam ao arquipélago.

Distinguem-se 2 estações anuais -a estação seca, de Novembro a Julho, e a estação das chuvas, curtas e irregulares, de Agosto a Outubro. Os meses de Julho e Outubro são de transição, consoante maior ou menor duração anual das precipitações, pode-se apresentar as características de estação húmida ou de estação seca. As chuvas são irregulares e escassas distribuindo-se pelas ilhas de forma heterogénea originando uma paisagem mais árida nas Ilhas do Sal, Boavista e Maio, por estarem expostas aos ventos quentes do Sahara, enquanto o clima das ilhas mais acidentadas é variado, com mais pluviosidade.

Temperatura médias anuais

Água

23º C
25º C
24º C
22º C
Primavera
Verão
Outono
Inverno

Ar

24º C
27ºC
26ºC
22º C

Os problemas naturais que mais afectam o arquipélago são a Seca, a Erosão e a Pobreza dos Solos.

Clique para aceder a informação relacionada:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Powered by:
www.xic.pt