A Instituição O Portal Arquivo Editorial Contactos Privacidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Powered by:
www.xic.pt
 
 
Sectores Privilegiados de Investimento
 

Para além da possibilidade de aquisição de participações sociais em unidades empresariais já existentes apontam-se os seguintes sectores e negócios interessantes para investimento*:

INDÚSTRIA

Indústria Ligeira para Mercados Externos (Empresas Francas)

  • Montagem de Bicicletas e Motociclos para a CEDEAO (Comunidade Económica dos Países da África Ocidental);
  • Confecções, Calçado, Artigos de Pele (bolsas e carteiras);
  • Acondicionamento e Processamento de Pescado;
  • Fabrico de Porcelanas (Ilha da Boavista);
  • Actividades de Suporte a Outras Indústrias: Embalagens (cartão e polietileno, sacos e cabides de plástico para a indústria de confecções);
  • Extracção de Pozolana (Santo Antão);
  • Extracção e Produção de Sal Marinho (Ilha do Maio);
  • Extracção e Transformação de Pedras Ornamentais (Ilhas da Boavista, Maio e Santiago);

Indústria Ligeira para o Mercado Interno

  • Carpintaria/Marcenaria, actividade possuidora de mercado extremamente alargado e rentável, de investimento tecnológico simples e gerador de emprego e substituição de importações de mobiliário para habitação, escritório e de lazer;
  • Indústria Alimentar (bebidas -aguardentes, licores e sumos- doçaria regional, compotas, bolachas, etc,) com importação de matérias primas da CEDEAO, visando a melhoria da produção e qualidade dos produtos tradicionais e acesso a mercados internacionais, étnicos e não só, habitualmente acedidos por vias não convencionais;
  • Indústria Gráfica, com forte procura interna complementando a reduzida oferta existente e as fortes limitações na qualidade do produto e serviço;

Construção Civil

  • Produção de inertes (britas, areia, etc...), produção de lancis pré-fabricados, artefactos de cimento e similares;
  • Construção de Edifícios Pré-Fabricados (Pavilhões Industriais e outros);
  • Prestação de serviços na sub-região africana e em especial nos países africanos de língua oficial portuguesa.

Pescas

  • Captura de pescado, com mínimo de 2 embarcações de 14-16 metros, para exploração na ZEE de Cabo Verde, ou com embarcações de 22-30 metros para actuar nas ZEE dos países com quem Cabo Verde mantém Acordos de Pesca (Guiné-Conakry, Guiné-Bissau, Senegal, Mauritânia e Angola);
  • Comercialização (exportação) de pescado;
  • Serviços ligados a actividades marítimas (reparação e manutenção de equipamentos e embarcações).

Agricultura e Pecuária

  • Floricultura, para o mercado interno e externo;
  • Plantas ornamentais;
  • Fruticultura;
  • Hidroponia (Tomate, Pimentão, Pepino, Alface), que se apresenta como excelente oportunidade para fornecimento ao crescente número de hotéis;
  • Aeroponia (agricultura sem utilização de substrato);
  • Transformação pecuária (processamento e transformação de carnes e queijos).

Transportes

  • Transportes aéreos e marítimos inter-ilhas (de passageiros e carga);
  • Transporte rápido inter-ilhas (catamarans Sal-Boavista, São Vicente-Santo Antão, Santiago-Fogo, Santiago-Maio);
  • Shipping em direcção à África Ocidental, nos sectores de cabotagem, serviços “feeders” e “trumping”.

Serviços

  • Telecomunicações: Teleporto, Teledata, serviços de dados e informações;
  • Actividades Marítimas: Registo Internacional de Navios;
  • Actividades de Apoio ao Turismo e à Indústria;
  • Zonas Francas Comerciais;
  • Serviços de Marketing e Publicidade;
  • Serviços Financeiros especializados;
  • Serviços de Saúde: Clínicas, SPA`s
  • Pequenos Serviços (procura crescente de serviços propícia a empresas organizadas e eficientes);
  • Serviços de Apoio a Eventos (Secretariado, traduções, etc.);
  • Serviços de Limpeza, Lavandaria, Canalização, Electricidade, etc.;
  • Prestação de serviços, na sub-região africana em especial, nos países africanos de língua oficial portuguesa (Construção Civil e outros...).

Turismo

  • Imobiliária Turística: complexos turísticos vocacionados para a venda de vivendas e apartamentos e prestação de serviços de gestão (time-share, condomínios, etc...);
  • Hotéis Resort (mais de 100 quartos) no Sal, Boavista, Maio e Santiago (S. Francisco);
  • Hotéis Executivos (50 a 80 quartos), na Praia e Mindelo;
  • Hotéis Especializados (até 25 quartos), com serviços de desporto e lazer náuticos (pesca desportiva, actividades subaquáticas, etc...);
  • Pequenos Hotéis, Pensões e Pousadas (até 30 quartos), para turismo de circuitos (caminhadas, escaladas, aventura, etc.);
  • Actividades de Diversão Turística (centros de diversão, golfe, casino, restaurantes, snack-bars, jogos,etc...);
  • Marinas para embarcações.